Por categoria | Abrantes, Destaque, ESTA, Notícias

Alunos da ESTA assinam abaixo-assinado contra alíneas do Código de Conduta

Alunos da ESTA assinam abaixo-assinado contra alíneas do Código de Conduta

No dia 10 de outubro começou a ser subscrito um abaixo-assinado contra algumas das alíneas do código de conduta do Magnum Consilium Veteranorum.  A revolta de alguns dos alunos começou quando entrou em vigor, a 18 de Outubro, o novo código de conduta do Magum Consilium Veteranrum (MCV), que dita quais as regras relativamente às praxes e ao traje académico.

O novo código trouxe mudanças em algumas alíneas, o que deixou os alunos descontentes, tal como declarou um aluno da ESTA, que preferiu não ser identificado, uma vez que essas “mudanças comprometem a integridade física, a imagem pessoal de cada um e impossibilitam o transporte de material escolar aquando do uso do traje”.

Alexandra Silva, aluna de Comunicação Social, acrescenta que “existem alíneas que não fazem sentido nos dias que correm”. Assim, houve um grupo que decidiu fazer um abaixo-assinado numa tentativa de se fazer ouvir e de mudar as alíneas em questão.

As novas alíneas que geraram descontentamento proíbem o chamamento de Engenheiros aos alunos que frequentam o curso de Engenharia, o uso de adesivo para tapar unhas de gel/gelinho e piercings, o consumo e transporte de bebidas não alcoólicas da mesma forma que é permitido o transporte e consumo de bebidas alcoólicas e o uso de mochila quando os alunos estão trajados.

Relativamente a estas novas medidas, Alexandra Silva diz: “Parece que nos querem oprimir e tirar aquilo que nos distingue enquanto seres humanos. Eu sei que o nosso traje tem como objetivo a igualdade entre todos, mas não da forma como tudo está a acontecer.”

Apesar de estas medidas, segundo o MCV, visarem garantir a igualdade entre as escolas de Abrantes e Tomar, existem ainda desigualdades, criadas pelo próprio MCV, tal como descreve Alexandra Silva. “Quando existem estudantes com autorizações que vão contra o novo código, retiram a igualdade toda que querem pôr e preservar entre todos os alunos, pois nem todos têm essas mesmas autorizações”. Também Letícia Casaca, aluna de Comunicação Social, diz: “O que está a acontecer da parte de muita gente não passa de uma falta de respeito tanto para com os alunos como para com a nossa dignidade”.

Ainda não se sabe quantos alunos assinaram ao todo o abaixo-assinado, mas uma das assinantes, Letícia Casaca, considera que “este abaixo-assinado vai revolucionar, e bem, tanto a escola como toda a comunidade praxistica.”. Já Alexandra Silva afirma não tirar muitas conclusões sobre o resultado e efeito que terá, ”visto que o Cv não é obrigado a reagir e mudar essas alíneas expressas. Mas era importante ouvirem-nos e perceber que a nossa opinião conta. Afinal somos ou não uma comunidade?”.

 

Be Sociable, Share!

Este artigo foi escrito por:

Este autor já escreveu 14 Artigos no Esta Jornal.


Faça aqui o seu comentário:

Publicidade

Arquivo